Respostas


respostas, mensagem de reflexão,interrogação
Falar, sorrir, chorar feito uma criança.
Morrer, renascer, formar a aliança.

Vingança? – Sentimento de ódio, determinação.

Fidelidade? – Verdadeiro amor, união.

Amizade? – Sinceridade, para todas as horas um irmão.

Falsidade? – Mediocridade, um ator na solidão.

Um gesto de carinho, um presente? – Na simplicidade é de coração.

Uma bronca do pai ou da mãe? – Nada de mau, só preocupação.

Contar com um amigo em horas difíceis? – Gratidão.

Reconhecer quando erra? – Humildade, compreensão.

Ganância? – Egoísmo, escuridão.

Ajudar? – Iluminado, pai, irmão.

Inveja? – Sem astúcia, inaptidão.

Ter e Reclamar? – Com certeza sem visão.

Esperança? – Um sonho, com fé realização.

Um frio na barriga? – se não for medo, é paixão.

Pressa, ansiedade pelo futuro? – Sem razão.

Ir contra o amor pela cor? – Descriminação.

O orgulho feri!  Não traz salvação.

A beleza engana por isso chama atenção!

Insegurança? – Falta de confiança, sem coragem, sem decisão.

Atitude? – Palavra firme, confiante, vitória na indagação.

Medo? – Sem crença, derrotista, não busca a solução.

Corajoso? – Não é o que mata, não é o que agride, não é o que briga por qualquer questão.

Ensinamento? – Aprendizado, conhecimento, ancião.

Se preocupar por ter pecado? – Na lágrima o perdão.

Fonte de vida? – O amor, o Criado, a redenção.

Preguiça? – Conflito, sem trabalho, sem pão.

Na mesa o arroz? – Agradecimento, Alimentação.

Sair de manhã, trabalhar, suar no sol? – Disposição.

Querer ser o melhor? – Está sozinho, perdido, sem direção.

Observar, copiar? – Sem criação.
Preconceito? – Burrice, falta de humanidade, imperfeição.

Luz? – Sabedoria, intuição.

Ser livre de armadilhas? – Iluminado, proteção.

Saber se portar, ajudar? – Conscientização.

Palavras ao vento buscando uma rima,
Buscando um sentido um significado.
Para alguns confundem, para outros ensina,
Que é preciso amar para ser amado.

Comentários

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Pollyanna “o jogo do contente”

Não somos filhos da religião, somos filhos de Deus.

Onde encontrar forças para continuar