Talvez... Se não fosse por amor.


Talvez... Se não fosse por amor.

Talvez... Se eu não te amasse
Já teria ido embora.
Talvez... Se não fosse por amor
Não veria a hora de me afastar de você.
Talvez... Por assim dizer, talvez.

O que somos capazes de fazer por amor? – Será que o amor por outra pessoa ultrapassa todas as barreiras?

Outro dia em meu trabalho um dos funcionários deixou de almoçar. Eu achei estranho, pois quem é que se daria o trabalho de preparar um almoço, aprontar uma marmita e ficar sua hora de almoço sem comer? – Como sou assistente administrativo e praticamente lido com todos os funcionários resolvi perguntar se estava ocorrendo algum problema, até pelo fato de poder ajudar de alguma forma, e a resposta que obtive foi de que ele havia se separado de sua esposa.

Na hora fiquei meio sem ação, afinal não era essa a resposta que eu imaginava ter, e sinceramente fiquei um tempo calado por não ter uma resposta que pudesse ajudar de alguma forma, e mesmo que tivesse, será que iria adiantar? – Como disse Chico Xavier “qualquer um é capaz de suportar uma dor, menos quem a sente” e realmente, acho que qualquer coisa que eu tivesse dito não adiantaria muito naquele momento. A única coisa que fui capaz de dizer foi uma segunda pergunta que foi “você a ama?” e ele me respondeu que a amava muito, mas que a culpa era dele. Fiquei sem jeito de perguntar por que, mas já imaginava.

Infelizmente, a maioria de nós homens têm a facilidade, o dom de menosprezar o amor de uma mulher, de não reconhecer seus valores, de achar que pelo fato de muitas dependerem de nós, elas nunca seriam capazes de nos deixar. Acredito que é o pior erro que podemos cometer. Como vocês podem perceber eu digo nós, pois também fiz parte de circulo de machismo, não tenho vergonha de admitir, e digo que foi um erro, pois por conta disto quase perdi minha companheira, quem me acompanhou nos piores momentos de minha vida, quem sempre esteve ao meu lado me amando e sempre me defendendo, mas meu orgulho machista não permitiu que eu desse a ela o verdadeiro valor  e por isso quase nos separamos, quase perdi a mulher que amo e que tanto me ama.

Deus me deu mais uma oportunidade, me fez reconhecer os meus erros, me mostrou que a vida é feita de valores, e que respeito se conquista. Graças a Deus nos acertamos e tivemos uma filha linda, claro que todo casal se desentende de vez em quando, mas é preciso que um saiba respeitar o outro, que cada um saiba reconhecer o valor do outro. Não nos aproximamos para servir um ao outro, mas, para cuidar um do outro.

O amor pode ultrapassar todas as barreiras, desde que saibamos que o amor é para ser correspondido, pois quem quer ser amado tem que aprender a amar. Não só amar, mas respeitar a quem se dedica por nós. Temos que aprender que podemos não ter outra oportunidade, então temos que saber viver e transformar em felicidade, por mais que passemos por dificuldades, os bons momentos com quem amamos.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Pollyanna “o jogo do contente”

Não somos filhos da religião, somos filhos de Deus.

Onde encontrar forças para continuar