O Menino Tem Medo...

O menino tem medo

Me diga menino o que você teme? - se o mundo é tão belo, tão bonito.
Me diga menino do que você tem medo? - se o mundo é a mais pura perfeição.

Não tenho medo do mundo, respeito sua natureza.
Não tenho medo do mundo, compreendo sua perfeição.

Mas, os seres do mundo não reconhecem a natureza de Deus, pois criaram sua própria natureza. Refiro-me ao ser chamado homem, que de humano não tem nada, talvez nem de animal, pois os animais respeitam uns aos outros e não destroem a terra. Não! O homem não pode ser considerado humano e nem animal, então do que é feito essa natureza mesquinha, cheia de hipocrisia e ganância?

 - Eu não sei, por isso tenho medo! - O homem é de uma natureza a qual não conhecemos, uma natureza que se transforma facilmente em algo maléfico.

Por que? - por que esse pensamento menino?
Que mal o homem lhe fez?

A mim? - Nenhum! - Mas, o mal praticado indiretamente também nos afeta, porque atinge a  integridade humana. Responda-me se não dói em seu coração ver uma criança ser violentada, ver a filha de alguém ser estuprada, obrigada a praticar algo que não quer. Diz! - se não dói ver um filho matar o pai por causa de dinheiro, ver uma menina de dez, onze ou doze anos se transformar em mulher; antes! - Meninas brincavam, meninos corriam. Agora meninos matam e meninas se tornam mães.

Cada dia tenho mais medo, da criatura chamada homem; que polui o mundo com sua desonra, que polui o ar com suas mentiras infames, que desvaloriza a vida, porque não sabe o quanto é valiosa. 

Tenho medo sim! - tenho medo, pois sei que um dia me tornarei um homem, e tenho medo que tenham medo de mim. Tenho medo de esquecer minhas virtudes e deixar me conduzir por línguas venenosas. Tenho medo de me tornar dessas criaturas sem escrúpulos, que são capazes de ferir seu próprio sangue por pura ganância e vaidade. Tenho medo de deixar meu ego e orgulho ultrapassar minhas raízes familiares, fazendo-me esquecer que dentro de mim bate um coração; um coração que irá parar de bater no seu devido tempo, e que talvez, seja tarde demais para perceber que não há ninguém ao meu lado para me amparar e fazer meu espírito viajar entregue as flores.

Tenho medo sim! - Tenho medo de fazer falsos amigos que por puro egoísmo, façam com que eu afaste quem verdadeiramente me ama, que façam com que meus verdadeiros amigos, se afastem de mim.

Tenho medo sim! - Tenho medo de ficar cego ao ponto em que apenas minha razão prevalecerá. Tenho medo de não conseguir enxergar a verdade e que quando conseguir seja tarde demais.

Tenho medo de um dia olhar para o lado, e ver que minhas atitudes me enriqueceram, mas, que me fizeram envelhecer só, e entregar meu espírito a vagar em lágrimas eternas.

Sim! - O Menino tem medo.

Henrique Neves


Comentários

  1. Olá Henrique,
    Já me instalei por aqui. Obrigada pelo carinho da visita.
    Gostei muito do seu texto. Ele retratou toda a maldade que se instalou em determinados seres humanos, cujos corações estão tomados pela trevas.
    É de se temer, sim, mas, mas calcado em bons princípios e na fé, o menino se tornará um grande homem. Tudo haverá de mudar, nem que seja após muito sofrimento da humanidade.
    Linda a imagem.

    Abraço.

    ResponderExcluir
  2. Olá, Henrique!

    Belo texto! Todo mundo tem medo, mas vale conferir o que fazemos com ele...deve ser o impulso para a ação! Deve ser a semente da mudança, da perseverança!
    Não podemos deixar que o medo nos paralise, senão deixamos de crescer, de aprender.

    Parabéns pelo blog! Seja Bem Vindo!

    ResponderExcluir
  3. Boa tarde Henrique,
    Cheguei até aqui por você me seguir pelo G+.
    Que texto maravilhoso!
    É realmente muito difícil ver e saber no que o ser humano se transformou, e temos que nos policiar sempre para não cairmos nessa armadilha cruel...Medo sim, mas na medida que não prejudique nossa vida e nosso crescimento como seres humanos.
    Deixo abraços com carinho e desejo um lindo final de semana.
    Marilene
    http://marilene-folhasfloresesutilezas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Marilene, seja bem vinda.

      Concordo, tem que ser um medo cauteloso, um medo que nos ensine a sermos melhores como seres humanos.

      abraço.

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Pollyanna “o jogo do contente”

Não somos filhos da religião, somos filhos de Deus.

Onde encontrar forças para continuar