Ela disse que sou poeta


ela disse que sou poeta










 



Ela disse que sou poeta.
Será? – palavras saem reluzentes,
Sentimento quente, às vezes oponente do próprio ser.

Meu viver nem sempre deixo transparecer,
Pois os covardes se prevalecem da fraqueza.
Incerteza? – Não pode fazer parte do convívio do poeta,
Pois afeta as diretrizes da palavra.

A palavra? – Não deve ser entendida, mas sentida,
Pois o que está escrito nem sempre é o que parece ser.
Entender? – Vai saber!
Às vezes ler não é o suficiente,
O entendimento está no inconsciente
Traduzido pelo sentimento e emoção.

O tradutor? – O coração,
Que explica detalhe por detalhe
E dá sentido a razão.

Ela disse que sou poeta – Será?

Henrique Neves

Comentários

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Pollyanna “o jogo do contente”

Não somos filhos da religião, somos filhos de Deus.

Onde encontrar forças para continuar