E agora?


o amor perdoa









E agora?
Lhe magoei sem motivo aparente,
Na chagada do amor estive ausente,
Na minha frente não enxerguei um palmo sequer.

E agora?
Descobri que você faz falta,
Deixei em pauta o sussurro do coração,
De recordação só o perfume de mulher.

E agora?
Quem disse que o homem não chora?
Quando o amor vai embora,
O bruto deixa de ser bruto ao se deparar com a solidão.

E agora?
A fortaleza permanece só por fora,
Por dentro não vejo a hora de encontrá-la novamente.
Quero resgatar o amor poente e lhe pedir perdão.


Atenção! - todos os artigos aqui postados são protegidos por direitos autorais. Você pode copiar desde que sejam dados os créditos ao autor e ao blog/site.

Titulo: E agora?
Categoria: Poesias

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Pollyanna “o jogo do contente”

Não somos filhos da religião, somos filhos de Deus.

Onde encontrar forças para continuar