Ontem não tinha pai, hoje sou filho


ontem não tinha pai, hoje sou filho
Pai! – que conceito temos sobre isso?

Pai! – Alguém que normalmente, nós filhos, teríamos o orgulho em se espelhar. O exemplo que todo filho quer seguir. Quem ensina, quem orienta, quem briga com o mundo para nos defender, quem que, quando sentimos medo corremos para seus braços para obter proteção.

Pai! – Alguém que está por perto para nos aconselhar, para nos dar bronca, para estender o ombro quando sofremos alguma decepção, alguém que diz: pode contar comigo sempre, pois mesmo que você não esteja próximo de mim, você é meu filho e eu jamais te deixarei de lado, sempre estarei aqui para quando você precisar de um colo de pai.

Nem sempre os filhos têm um pai por perto, um pai que lhe dedique atenção, alguém para realmente chamar de pai.

Pode ser que eu esteja me expondo em falar sobre isso, mas, não ligo afinal me coloquei no dever de passar a vocês, não só leitores, mas amigos algo que de alguma forma possa influenciar positivamente em suas vidas.

Meu pai biológico nunca teve uma presença marcante em minha vida, mas graças a Deus não fiquei sem um pai por perto, pois tenho um padrasto que é um verdadeiro pai para mim.
Mas, como todo o filho, acredito eu, gostaria que seu verdadeiro pai fosse mais presente em sua vida, que se preocupasse mais, não apenas financeiramente, mas que tivesse a vontade de construir um verdadeiro sentimento de pai e filho. Se eu disser que isso nunca me entristeceu estaria mentindo, pois gostaria sim que meu pai fosse mais amigo. Ele não teve uma presença ativa em minha infância, mas uma das minhas maiores tristezas com ele foi, que, quando completei maior idade fui procurá-lo, pois nem sempre dei ouvidos aos que falavam dele, no fundo eu queria acreditar que nada que diziam sobre ele era realmente verdade, mas me decepcionei, e comprovei pessoalmente que eu só era filho nas palavras. Ele tinha orgulho em dizer para os outros: esse é meu filho; claro, pois minha mãe e meu padrasto me deram uma boa educação, me ensinaram a respeitar os outros e a ter dignidade. Foi fácil ele dizer para os outros: esse é meu filho, pois nunca esteve por perto para presenciar minhas maiores dificuldades, não esteve por perto quando eu quase morri por conta de uma pneumonia.

Há única vez que lhe pedi algo, que lhe pedi uma ajuda, mesmo dizendo que não queria dado, ele se negou.

Em Fevereiro fez três anos que não o vejo e não falo com ele. Minha filha tem dois anos e não conhece seu Avô. Acredito que ele deve ter pensando que o procurei por interesse, já que ele é muito bem sucedido financeiramente. Fiquei triste por ele pensar desta forma, pois se me conhecesse saberia que tem um filho que não se vende, que conhece os valores da vida e não gosta de viver as custas de ninguém. Que tem um filho com sonhos, vontade, força e que conseguiu construir um meio de vida instável por seus próprios esforços. Que tem um filho que apesar de ter passado por diversas dificuldades não desistiu, e que pela graça de Deus venceu, construiu uma família, tem uma excelente esposa, uma filha linda a qual esse avô nunca fez questão de conhecer, mas, Deus sabe o que faz, pois ganhei um pai e um excelente Avô para minha filha, que é meu padrasto.

Desculpem-me pelo desabafo, mas espero que você que é pai e que não tem seu filho próximo a você não cometa o mesmo erro que o meu. A distância não é desculpa para você ignorar e deixar seu filho de lado. Não se esqueça que um dia você vai envelhecer e pode acabar sem ninguém por perto. Saiba que o valor humano é muito maior do que qualquer bem material.

E você que é padrasto, saiba que se você escolheu viver ao lado de uma mulher que já tinha um filho, aprenda a tratá-lo como seu também, mesmo que ele não o chame de pai verá em você alguém em quem se espelhar e fará de tudo para lhe dar orgulho, assim como eu.

Que Deus ilumine a todos.

Até a próxima!

Henrique Neves

Comentários

  1. Ei Henrique...

    Meu amigo Felizmente eu tenho um pai maravilhoso com qualidades admiráveis além de um grande amigo, infelizmente muitos não sabem o significado da palavra e se negam a exercer este papel tão nobre e sublime . O que posso lhe dizer é que você cumpriu seu papel de filho, se dispôs a procura lo e o reconheceu como seu pai mesmo tendo se ausentado de você e não ter lhe dado atenção devida, aconselho a dar tempo ao tempo e deixa lo que ele agora o reconheça por filho . Valorize o seu padrasto pois este sim merece todo seu afeto, carinho e respeito...

    Abraços e apenas valorize se sempre e perdoe..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Cecilia!

      Como sempre você faz uso de belas palavras.

      Apesar de tudo, aprendi com as leis divinas que não devemos guardar rancor, pois isso pode nos fazer mal. Tenho a consciência tranquila, pois como você disse, fiz meu papel.

      Graças a Deus tive alguém para cobrir essa lacuna, alguém que agiu e age como um verdadeiro Pai. Coisa que muitos não têm.

      Eu rezo sempre a Deus para me guiar, orientar e me ensinar a perdoar.

      Um forte abraço e mais uma vez obrigado por encantar meu blog com sua presença.

      Excluir
  2. Henrique boa tarde,

    Pois bem nem todos tem a oportunidade de ter seu pai por perto, mas acredite eu passei por isso, mas mesmo assim soube o tanto que meu pai gosta de mim, somos parecidos e acho que por isso é difícil nos afastarmos.
    Mas apesar dos pesares você cresceu e se tornou um bom pai graças aos ensinamentos que a vida lhe deu, parabéns pela forma como agiu mesmo com a distância do mesmo.

    Um abraço e tenha uma excelente tarde.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Clarice...

      Fico feliz em ter novamente sua presença.

      Graças a Deus meu padrasto(Pai) me ensinou que na vida todos merecem uma oportunidade para tentar se redimir de seus erros.

      Ele sempre diz: por mais que um cavalo lhe de um coice, jamais devemos querer cortar suas patas, pois amanhã pode ser quem salve sua vida.

      A vida é feita de tropeços e por conta dos tropeços é que aprendemos a lidar com a vida.

      Por isso tento se para minha filha o melhor pai do mundo, me torno uma criança quando estou com ela e sempre procuro dar a ela toda atenção que um pai deve dar a seu filho.

      Um forte abraço e uma excelente tarde para você também.

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Pollyanna “o jogo do contente”

Não somos filhos da religião, somos filhos de Deus.

Onde encontrar forças para continuar